km-portrait4Já escrevemos neste blog sobre muitas mulheres fortes que fizeram parte e contribuíram muito para a literatura mundial: Jane Austen, as irmãs Brontë, Florbela Espanca, etc. Mas hoje uma autora inédita em nosso catálogo merece atenção especial, Katherine Mansfield.

Katherine nasceu em 14 de outubro de 1888 na Nova Zelândia, ela era filha de um banqueiro e fazia parte da alta classe local. Sua vida foi marcada por polêmicas e transformações. Mudou-se para Londres em 1902 para frequentar o Queen’s College, antes de se tornar a famosa escritora, Katherine era uma violoncelista de talento, e só se dedicou à escrita ao voltar para a Nova Zelândia em 1906.

Cansada do estilo de vida provinciano de sua terra natal, Mansfield retorna a Inglaterra em 1908 e lá se entrega à vida boêmia. Este período de sua vida é marcado por peculiaridades, como por exemplo, o fato de conhecer, se casar e se separar do primeiro marido em três semanas.

Em 1911 lançou sua primeira coletânea de contos, chamada In a German Pension, porém o livro não foi um grande sucesso. Então, Katherine decidiu mandar seus contos para uma revista da época, a Rhythm. O editor da revista era John Murry, que rejeitou seus contos e pediu algo mais sombrio, Mansfield então lhe enviou The Woman at the Store, uma história de assassinato e doenças mentais. O conto foi um sucesso. O fato de Murry editar seus contos o aproxima de Katherine e os dois têm um relacionamento cheio de idas e vindas.

Durante a Primeira Guerra Mundial o irmão de Katherine, Leslie Heron Beauchamp, que servia o exército, morreu em combate. O luto pela perda do irmão e a nostalgia da vivência em sua terra natal influenciaram sua obra posterior.

Katherine também cultivou amizades com grandes escritores como D. H. Lawrence e Virginia Woolf.  Há boatos de que Virginia e Katherine mantiveram uma secreta relação amorosa. Virginia chegou a afirmar que a escrita de Katherine foi a única escrita que invejou.

Mansfield teve tuberculose e embora tenha tentado vários tratamentos, a sua saúde se deteriorou e em 1923 teve uma hemorragia fatal. Antes de falecer entregou para Murry vários manuscritos, o que garantiu a publicação de várias histórias póstumas.

Katherine Mansfield foi uma mulher muito a frente de seu tempo. Capaz de ignorar a tradição vitoriana, ter relacionamento com mulheres (algo impensável para a época) e produzir uma escrita que continua moderna até hoje, com contos recheados de fantasias e sonhos.

IMG_7560

 

A festa ao ar livre e outras histórias
Brochura
Tradução:Lenita Maria Rimoli Esteves
Páginas: 232
ISBN: 978-85-440-0118-9
23 x 16 cm

Link de compra: Martin Claret