Monthly Archive

For novembro, 2015

Mark Twain

Seu nome verdadeiro era Samuel Langhorne Clemens, mas ficou conhecido mesmo pelo pseudônimo de Mark Twain. Foi um grande escritor norte-americano e tornou-se famoso com dois romances: As aventuras de Tom Sawyer e a sua sequência As aventuras de Huckleberry Finn.

O nome Mark Twain foi retirado de um termo usado por barqueiros, que significa “duas marcas” na verificação da profundidade de rios.

Suas duas grandes obras marcaram a geração de 1870 americana. As aventuras de Tom Sawyer narra a história de Tom, um menino órfão que mora com sua tia Polly. Nesta obra Mark Twain utiliza o olhar ingênuo de uma criança para denunciar os preconceitos e a hipocrisia da sociedade. As aventuras de Huckleberry Finn surge como uma sequência, Huckleberry Finn, amigo de Tom Sawyer, vive inúmeras aventuras em uma balsa que vai pelo rio Mississipi. Este romance é considerado o marco fundador da narrativa americana, e foi um dos primeiros a registrar a fala comum de pessoas simples.

Para os fãs desse grande escritor, é possível visitar um museu todinho em sua homenagem. O local do museu é a casa onde Twain e sua esposa viveram de 1874 a 1891 (em 1891 Mark teve que vender sua casa por motivos econômicos) e fica localizada em Hartford, capital do estado de Connecticut. O museu possui visitas guiadas e embora nenhum dos objetos encontrados na casa tenham pertencido ao escritor, é possível se sentir na época em que Twain viveu, os ambientes foram recriados baseados em fotos e documentos que pertenceram a ele.

Para quem se interessar, o museu possui um site oficial contando um pouco de sua história: Mark Twain House

 

Processed with VSCOcam with q8 preset

O Natal já chegou aqui na Martin Claret!

Para comemorar a chegada do Natal, resolvemos fazer um post sobre o escritor que mais representou essa época festiva. Charles Dickens foi um importante escritor inglês do século XIX, sendo conhecido como um dos principais romancistas da Era Vitoriana e o percursor do Realismo inglês. Escreveu romances, contos, peças e artigos jornalísticos, e até teve contato com escritores e escritoras de sua época, como Elizabeth Gaskell, com quem manteve uma forte amizade.

Suas obras são famosas por expor os principais problemas sociais da Inglaterra vitoriana, como a violência, a pobreza, o desemprego, e as péssimas condições de trabalho nas fábricas. Oliver Twist, por exemplo, retrata a vida e aventuras de um jovem órfão, tendo como pano de fundo a delinquência causada pelas condições precárias pela qual a sociedade inglesa da época passava. Ou Um conto de duas cidades, um romance de Dickens repleto de aventuras e tragédias que explora o momento histórico da Revolução Francesa e a histeria coletiva causada por esse acontecimento.

Porém, a obra mais famosa do autor com toda a certeza é Um cântico de Natal e outras histórias. A obra possui inúmeros contos sobre a época natalina: “A história dos duendes que raptaram um coveiro”; “O homem possesso e o pacto com o fantasma”; “Uma árvore de natal”, entre outras. Mas a obra mais conhecida é a “Um cântico de natal em prosa que é uma história natalina de fantasmas”, popularmente conhecida como “Um cântico de Natal”. Esse conto narra a história do velho Scrooge, homem de negócios sovina e ranzinza, que não vê a mínima graça na noite de Natal, porém, algumas surpresas aguardam o velho rabugento: ele recebe a visita fantasmagórica de seu antigo sócio, Marley, que se mostra arrependido de, como  Scrooge, ter passado a vida atrás do dinheiro. Ele leva Scrooge para uma viagem inesquecível e transformadora em busca de tentar salvá-lo enquanto ainda é tempo.

Várias obras, sejam literárias ou cinematográficas, se inspiraram nessa história de Dickens. Em 1983 a Disney fez sua versão do velho razinza no O Natal do Mickey Mouse; coube ao Tio Patinhas, cuja criação já é baseada no sovina Scrooge, representa-lo. Em 1999, foi produzido para TV um filme sobre Um cântico de Natal. Coube ao ator Patrick Stewart o papel de Ebenezer Scrooge. Nesse filme a personificação de Scrooge era um pouco mais jovem.

Uma animação produzida por Robert Zemeckis chamada de Os Fantasmas de Scrooge foi lançada em 2009. Jim Carrey deu vida a Scrooge e aos três fantasmas da história, o do passado, presente e futuro. A tecnologia utilizada para a digitalização e a atuação de Carrey traz uma certa magia à história, por se tratar de uma animação, muitos elementos lúdicos puderam entrar em cena.

Há também duas releituras da obra que valem a menção. A primeira é o Expresso Polar. Também produzida por Zemeckis, ela foge um pouco do conto original, e mesmo tendo sido baseada na obra de Chris Van Allsburg, no personagem principal, um menino representa a figura infantilizada de Scrooge, ele não acredita no Natal e não entende por que as pessoas acham uma época tão importante. A segunda é o filme Minhas Adoráveis Ex-Namoradas que, a principio, pelo título, parece não ter relação com a obra de Dickens, mas é possível encontrar os elementos do famoso conto. Connor, interpretado por Matthew McConaughey não acredita no amor e então é visitado por três fantasmas de suas ex-namoradas. Como no conto de Dickens, Connor percebe, ao longo dessas viagens, que precisa repensar seu estilo de vida.

Vale a pena ler esse grande clássico da literatura. Dickens escreve de uma forma tão mágica quanto o próprio Natal em si.

Link para compra: Martins Fontes

Um Cântico de Natal
Autor:  Charles Dickens
ISBN: 978-854-4001-066
Tradutor: Roberto Leal Ferreira
Paginas: 330
Formato: 23 x 16

Processed with VSCOcam with q8 preset

Dostoiévski

Um dos maiores escritores russos de todos os tempos está no nosso catálogo! Fiódor Dostoiévski foi um grande romancista. Crime e Castigo, Diário do Subsolo, O Idiota e O Jogador são alguns de seus livros mais famosos e em sua maioria, relatam o cotidiano russo do século XVII.

A atualidade de seus romances se deve ao fato de Dostoiévski abordar o comportamento patológico dos seres humanos, a situação social e a realidade das camadas mais pobres da sociedade, tudo isso imerso em grandes tragédias humanas como assassinatos, loucuras e crimes.

Em Crime e Castigo, a vida do jovem Raskólnikov, um ex-estudante de direito e que vive pobre e angustiado, vira de cabeça para baixo quando ele mata uma agiota, de quem emprestava dinheiro. No romance, Dostoiévski relata os dramas psicológicos sofridos por Raskólnikov após o homicídio e a sua incapacidade de continuar sua vida após o delito.

Diário do Subsolo é considerada a primeira obra existencialista do mundo. Ela se desenvolve como um trecho das memórias de um empregado civil aposentado em São Petersburgo. A obra se divide em duas partes, a primeira “O Subterrâneo” e a segunda “A Propósito da Neve Derretida”. O personagem principal não revela seu nome ao leitor, ele vive amargo e isolado do mundo.

O Idiota traz o humanista e epilético Príncipe Míchkin, que é uma mistura de Dom Quixote com Cristo. Nesta obra Dostoiévski fala sobre o nacionalismo russo e o cristianismo eslavo.

Vale a pena se jogar nas obras desse grande autor. Suas temáticas, mesmo que do século XIX, se mantêm atuais até hoje.

Processed with VSCOcam with c2 preset

Encontre nossas edições nos links:

Crime e Castigo

Os Irmãos Karamázov